Caetano sonha em voltar a morar na Bahia e cantar no Teatro Vila Velha

Com 80 anos completados neste domingo (7), o cantor e compositor baiano Caetano Veloso falou sobre o futuro. O sonho, agora, é voltar a morar na Bahia e cantar no Teatro Vila Velha, onde participou do show ‘Nós, por exemplo’, ao lado de Gal Costa, Gilberto Gil, Bethânia e Tom Zé, na inauguração do espaço, nos anos 1960. A afirmação foi dada à cantora Iza, em entrevista antes de o especial ir ao ar pelo Globoplay, transmitido ao vivo, direto do Teatro das Artes, no Rio de Janeiro. "Quem quiser me ouvir cantar vai ter que ir à Bahia", disse ele.
Na capital baiana, os 80 anos de Caetano não poderiam passar em branco em um dos bairros de maior expressão artística de Salvador. O Santo Antônio Além do Carmo foi envolto de canções, discursos e criações gastronômicas que buscaram homenagear o cantor. O movimento “Vamos Comer Caetano” começou às 10h já com abertura de estabelecimentos que nomearam pratos típicos da casa com obras musicais do aniversariante. Parte do valor arrecadado foi doado à TV Pelourinho, portal cultural idealizado pela ONG Ação Pela Cidadania.
O Nanotrio, movimento coletivo que circula pela cidade com música mecânica, se juntou à manifestação às 16h, com repertório exclusivo em homenagem a Caetano. O cantor e compositor Jonga Lima interpretou sucessos como “Os Mais Doces Bárbaros”, “Milagre do Povo e “Língua”.
Em Salvador, o bairro do Carmo comemorou os 80 anos do artista baiano

A proprietária do botequim Café e Cana, Débora Arnoso, conta que a clientela “explodiu” desde a postagem de divulgação que o estabelecimento fez na última sexta-feira (5). A casa fez adaptação de pratos que já existiam, enquanto o Bobó de Maturi passou a se chamar “Transa”, o Drink Matalambô foi “O Leãozinho”.
“Foi superpositivo. Quando a gente fez a postagem, no Instagram, já percebeu uma grande repercussão nas mídias sociais. Desde que abriu a casa [...] a gente já está vendo movimentação no bairro desde cedo. [Tem] muita gente procurando a casa para poder almoçar os pratos e drinks que a gente sugeriu”, comemora.
Carllan Miguel, proprietário do bar R'Canto do Pascoal também aderiu ao movimento. “Aceitamos na mesma hora. Até fiquei surpreso em uma semana ela [Janete Catarino, organizadora do evento] conseguiu reunir vários bares e restaurantes em prol de uma pessoa maravilhosa, o Caetano”, afirma.
O casal Luiz Flávio Ribeiro, 63, engenheiro e Christiane Glasner, 58, psicóloga, foram até o local para ouvir as canções, celebrar a vida e “comer Caetano”. Ambos são de fora da Bahia e contam que se apaixonaram pelo que o estado tem a oferecer. Junto, veio a paixão pelo artista. “A gente chegou e perguntou qual era o prato da campanha, eles falaram que era o arrumadinho e nós pedimos”, narra Christiane. “Caetano é um mundo, é de todos, atravessa cada história particular de forma específica. Me formei em psicologia na Ufba [Universidade Federal da Bahia] ouvindo ‘Gente’, foi a música de entrada da turma’”, relembra.
A idealizadora do evento e produtora cultural Janete Catarino ressalta que a ideia surgiu pela campanha que Caetano já está fazendo pela TV Pelourinho. O objetivo, além da comemoração, foi impulsionar as doações e "Caetanear".
“Caetanear é viajar nas músicas de Caetano, curtir a música levemente, ser resistente, ser proativo, ser altruísta”, descreve.
Já o idealizador e DJ do Nanotrio, Messias Figueiredo, destaca a parte final da comemoração. a transmissão do Especial 'Caetano Veloso 80 anos', em live às 20h30 com os filhos Moreno, Zeca e Tom, além da irmã Maria Bethânia. O aniversariante canta seus maiores sucessos, a exemplo de "O sopro do fole", "Irene" e "Milagres do povo".

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro
أحدث أقدم

 PUBLICIDADE