Partido de Monalisa Tavares é força determinante na Câmara Federal, Senado e Assembleia Legislativa do Estado

O partido político União Brasil (ex-Democratas) elegeu, nas últimas eleições, 59 deputados federais, 4 governadores (Amazonas, Goiás, Mato Grosso e Rondônia), 10 senadores e 9 deputados para a Assembleia Legislativa da Bahia.
Em termos comparativos o partido fez a mesma quantidade de governadores que o Partido dos Trabalhadores, foi o terceiro em número de deputados federais (contra 99 do PL e 68 do PT), empata com o MDB na terceira colocação em número de senadores eleitos e é o partido baiano que mais elegeu deputados estaduais nas últimas eleições (o PT e o PSD elegeram 9 deputados cada um).

Força de Oposição

Na Câmara Federal os partidos que não fizeram parte da base de apoio do presidente eleito Lula da Silva são: PL, União Brasil, PP, Republicanos, PTB e Novo, que totalizam 250 cadeiras, alcançando quase metade (49%) da casa.
Enquanto isso os partidos que serviram de base de apoio para Lula (PT/PCdoB/PV, PSB, PDT, Psol/Rede, Avante, Solidariedade e Pros) juntos alcançam somente 139 deputados. Ou seja: menos da metade do grupo liderado pelo PL e União Brasil.
É sempre bom lembrar que o União foi formado com a fusão entre PSL e DEM, duas siglas que fizeram oposição ao PT. Tanto que o partido faz parte de uma articulação (divulgada pelo site Poder360) que objetiva formar um novo bloco partidário que envolve PL, União Brasil, PP, PSD, Republicanos, PSC, Patriota e PTB.
Tal superbloco garantiria 299 deputados, o que já seria mais do que a metade do total da Câmara. Tal força política garantiria a prioridade para a escolha da presidência de cada uma das comissões permanentes da Câmara. Garantida tal articulação, a consequência mais evidente seria o quadro de um amortecimento do PT, que ficaria sem o comando das principais comissões que decidem os rumos do Poder Legislativo, impactando os planos do futuro governo Lula.

Paulo Azi e Monalisa

Na Bahia o União Brasil é presidido pelo deputado federal reeleito Paulo Azi, campeão de votos em Ibicaraí, onde contou com o apoio da prefeita Monalisa Tavares (foto). Amigos e correligionários de longa data, Azi e Monalisa estarão na luta para trazer recursos federais para o município e é nesse contexto que se destaca a importância de filiação a um partido que tenha força no Congresso Nacional, seja na Câmara Federal, seja no Senado.
Incrivelmente alguns desinformados eleitores de Jerônimo e Lula andaram divulgando que a prefeita teria dificuldade na busca por recursos estaduais e federais visando obras e ações necessárias à Ibicaraí.
Parecem, ou não, desconhecer que o Orçamento do Poder Executivo é emendado e aprovado pelo Poder Legislativo, onde quem verdadeiramente manda são os deputados e senadores. Ainda mais em tempos de Orçamento Secreto, como se convencionou chamar a atual forma de previsão orçamentária, que Lula e o PT já se manifestaram ser favoráveis à continuidade.
Não somente nossa cidade, mas todos os municípios que fazem parte da Federação poderão descansar e saber que o dinheiro dos impostos será distribuído de forma equitativa, principalmente para os que mais necessitam.
Postagem Anterior Próxima Postagem

PUBLICIDADE