"Os eleitores têm consciência e não serão comprados por Bolsonaro", diz Gleisi Hoffmann

Por Brasil 247

Gleisi Hoffmann e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

A deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) afirmou, em entrevista a Dafne Ashton, Leonardo Attuch e Tereza Cruvinel, no programa Bom dia 247, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chega extremamente competitivo às eleições presidenciais. "Sempre buscamos uma frente ampla para fazer frente ao governo Bolsonaro. Reunimos vários partidos e também 13 estados em que o MDB declara apoio ao presidente Lula", diz ela.
Gleisi avalia que a PEC Kamikaze, que permitiu a Jair Bolsonaro realizar gastos extraordinários antes das eleições, terá efeito limitado. "A elite brasileira acha que consegue comprar o eleitorado, mas não creio em mudança depois do auxílio. Votamos a favor, porque as pessoas estão passando fome. Mas os eleitores têm consciência", afirmou.
Gleisi também garantiu que Lula fará mudanças importantes na economia. "Vamos mudar a política de preços da Petrobrás. Em nenhum momento tergiversamos sobre isso. Nunca se cobrou do Lula ou do PT qualquer flexibilização em relação a isso, ou ao fim do teto de gastos. Estamos fazendo um contrato claro com o povo brasileiro", afirma.
Na entrevista, ela também falou sobre as vaias ao ex-juiz suspeito Sergio Moro. "Moro está colhendo o que plantou. Usou o judiciário para fazer política. As pessoas se sentiram enganadas por ele. Quem semeia vento, colhe tempestade", apontou.
Gleisi também falou sobre a importância das eleições para o parlamento e os governos estaduais "Precisamos dar a Lula condições de governar. Somos também competitivos em vários estados, como Bahia, São Paulo, Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí e muitos outros", afirmou.
Postagem Anterior Próxima Postagem