Justiça pede nova prisão do goleiro Bruno por atraso na pensão alimentícia


A Justiça em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, mandou prender o ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, por atraso na pensão alimentícia do filho que teve com a modelo Eliza Samudio. Os atrasos ocorrem desde janeiro de 2020. Bruno foi condenado a 23 anos de prisão pelo assassinato da modelo.
O mandado de prisão foi expedido pela 1ª Vara da Família, da Infância, da Juventude e do Idoso de Cabo Frio. Atualmente a dívida é de R$ 90,7 mil. A prisão foi solicitada no mês de maio pela mãe de Eliza, Sônia Moura, na Justiça do Mato Grosso do Sul. Ela tem a guarda de Bruno Samudio, de 12 anos.
Após tomar conhecimento do mandato, o advogado e o goleiro entraram com o pedido de habeas corpus, que foi negado no fim de julho. A defesa disse que Bruno “não busca se furtar de suas obrigações de pagamento” e teria feito uma proposta de acordo, propondo pagar R$ 30 mil à vista e o restante parcelado em 12 vezes.
A desembargadora Márcia Ferreira negou o pedido de relaxamento, uma vez que o acordo não foi aceito por Sônia. Nesse sentido, a juíza titular da comarca, Luciana de Mello, mandou expedir o mandado de prisão e executar a sentença.
Bruno deve voltar à prisão nos próximos dias, após mais de 3 anos desde a sua saída. O ex-goleiro possui uma loja de açaí na cidade de São Pedro da Aldeia. No mês passado ele voltou a jogar profissionalmente defendendo o Atlético Carioca da quarta divisão do Campeonato Carioca.
أحدث أقدم

 PUBLICIDADE