Em entrevista, José Dirceu diz que mensalão 'nunca existiu'

Foto: Reprodução / Twitter

O ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu (PT), afirmou que o mensalão nunca existiu. Condenado pelo STF por ter participado do esquema, o petista fez a declaração durante uma entrevista em que defendeu a gestão da ex-presidenta Dilma Roussef (PT), atacada pelo ex-aliado Michel Temer (MDB).
"Certas coisas não se pode apagar. Houve um golpe, ele era vice-presidente, a Dilma jamais violou a Constituição. Eu, por exemplo, fui condenado no chamado mensalão, que nunca existiu", disse Dirceu em entrevista à BandNews.
Ele comparou sua condenação ao processo de impeachment que destituiu a correligionária. "Um juiz me condenava sem provas porque a literatura permitia. O outro disse que o ônus da prova cabia aos acusados, no nosso caso. E o outro me condenou pelo domínio de fato, mas aí o autor veio ao Brasil e disse que não cabia. Então são condenações políticas. No caso da cassação da Dilma, foi (uma cassação) política com anuência do Poder Judiciário. Eu sempre falo que foi um golpe parlamentar-judicial."
O ex-ministro também não se privou de dar sua opinião acerca da aliança ensaiada por alas do partido de Temer, que tenta reverter a candidatura de Simone Tebet (MDB) em prol de apoio a Luiz Inácio Lula da Silva (PT).
"A questão da aliança com o MDB se dá da Bahia até o Pará, e do Amazonas ao Mato Grosso. É um bloco do MDB que optou por apoiar o presidente Lula, por achar que é necessário vencer Jair Bolsonaro e não ter uma candidatura própria. Lógico que a convenção do MDB que vai resolver isso, ela é soberana (...) O que eles vão fazer disso? Vão expulsá-los? Mas aí acaba o MDB", complementou.
Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade

 PUBLICIDADE

Publicidade