Câncer de boca: saiba sinais e sintomas que não podem ser ignorados


Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O câncer de boca é um tumor maligno que afeta os lábios ou estruturas da boca, como gengivas, bochechas, céu da boca e língua. A maioria dos casos é diagnosticada em estágios avançados.
Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), a cada ano são registrados cerca de 15 mil novos casos de câncer de boca no Brasil. Esse tipo de tumor é mais comum em homens com mais de 40 anos de idade.
Os primeiros sintomas de câncer de boca são:Feridas ou aftas que não cicatrizam em 15 dias;
Caroços na boca que não desaparecem;
Manchas vermelhas ou brancas nas gengivas, língua, lábios, garganta ou revestimento da boca;
Pequenas feridas superficiais que não doem e que podem ou não sangrar;
Irritação, dor na garganta ou sensação que algo está preso na garganta.
Muitas vezes, os sintomas não são levados em consideração, pelo fato de não provocarem dor. Por isso, a doença é diagnosticada, na maioria das vezes, em estágios mais avançados.
Em estágios mais avançados, os sintomas do câncer de boca evoluem para:Dificuldade ou dor ao falar, mastigar e engolir;
Ínguas ou caroços no pescoço devido ao aumento dos linfonodos;
Dor em torno dos dentes, que podem cair facilmente;
Mau hálito persistente;
Perda súbita de peso.
Na maioria dos casos, o médico é capaz de identificar as lesões do câncer apenas observando a boca do paciente. No entanto, é comum pedir uma biópsia de um pedacinho da lesão para identificar se existem células cancerígenas.
Caso sejam identificadas células tumorais, o médico pode ainda pedir uma tomografia computadorizada para avaliar o grau de desenvolvimento da doença e identificar se existem outros locais afetados, além da boca.
O câncer de boca é causado por mutação nas células de qualquer parte da estrutura da boca que passam a se multiplicar de forma descontrolada. Veja fatores de risco para o problema:Hábito de fumar;
Mascar tabaco;
Infecção pelo vírus HPV;
Consumo frequente de bebidas alcoólicas;
Bochechos frequentes com enxaguantes bucais com alto teor alcoólico;
Má higiene bucal;
Histórico familiar de câncer de boca;
Trauma crônico na boca;
Além disso, alimentação pobre em vitaminas e minerais, assim como a exposição prolongada ao sol, também podem favorecer o aparecimento de câncer de boca.
O tratamento desse tipo de tumor deve ser orientado por um oncologista e pode ser feito através de cirurgia, quimioterapia, radioterapia, terapia alvo ou imunoterapia, dependendo da localização do tumor, gravidade da doença e se o câncer já se espalhou para outras partes do corpo.
Na maioria das vezes, o tratamento é cirúrgico, tanto para lesões menores, com cirurgias mais simples, como para tumores maiores. O cirurgião de cabeça e pescoço é o profissional que vai avaliar o estágio da doença. Essa avaliação, associada a exames complementares determinará o tratamento mais indicado. As informações são do portal Metrópoles.
Postagem Anterior Próxima Postagem

 PUBLICIDADE