Mulheres são vítimas de 89% dos casos de estupro na Bahia; estado registrou mais de 3 mil denúncias em 2022

Por Leonardo Almeida

Foto: Cláudia Cardozo / Bahia Notícias

O termo “Cultura do Estupro” surgiu em meados dos anos 70, na segunda onda do movimento feminista quando uma das pautas era, inclusive, contra a violência sexual. 50 anos se passaram e esta “cultura” ainda permanece enraizada em nossa sociedade atual. As mulheres foram vítimas 89,04% dos casos de estupro na Bahia em 2022. Até novembro do ano passado, o estado registrou 3.706 ocorrências, sendo um crescimento de 31,78% sobre 2021.
Os dados foram obtidos pelo Bahia Notícias por meio da Coordenação de Documentação e Estatística Policial, da Polícia Civil.
A Região Metropolitana foi a área em que houve a maior incidência de mulheres vítimas de estupro, com 90% dos casos tendo figuras femininas sendo violentadas. No ano passado, a RMS registrou 50 ocorrências, sendo 45 com mulheres. Porém, as denúncias de estupro, no geral, caíram 71,59% em comparação com o ano de 2021 (176 casos).
Das 3.706 ocorrências, o interior do estado foi “responsável” por 3.152 (85%) das denúncias de estupro no ano passado. As mulheres foram vítimas de 89,3% (2.815) do número total de casos reportados nos 404 municípios analisados pela Polícia Civil. Entre 2022 e 2021, as denúncias cresceram 47,35%.
Em Salvador, foram registrados 505 casos de estupro até novembro do ano passado, sendo uma alta de 25,31% nas denúncias ante ao registrado em 2021 (403). No ano de 2022, cerca de 87% (440) das vítimas desta categoria de violência sexual foram mulheres.
Os casos de abusos contra a população masculina também registraram crescimento no ano passado. A Polícia recebeu 406 denúncias de estupro contra homens em 2022, enquanto em 2021 esse número foi de 303, representando uma alta de 25,36% nos casos.
A população feminina é maioria na Bahia. O estado com quase 15 milhões de habitantes conta com 7,663 milhões de mulheres, representando 51,6% dos baianos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A masculina gira em torno de 7,1910 milhões.
Levando em consideração os dados disponibilizados pela Polícia Civil e pelo IBGE, uma em cada 2.322 mulheres foram estupradas na Bahia no ano passado. Calculando as vítimas masculinas, esse número fica em uma em cada 17.709 homens violentados em 2022.
Os números obtidos pela Polícia Civil podem estar defasados e, na verdade, podem ser ainda maiores. Apenas duas em cada 10 mulheres procuram ajuda e denunciam quando são vítimas de estupro, isso segundo a pesquisa "Experiências sobre estupro e percepções sobre saídas institucionais para as vítimas", realizada pelos institutos Patrícia Galvão e Locomotiva.
81% das mulheres não procuram nenhum serviço de atendimento após estupro
Infogram
Considerando a estatística da pesquisa e calculando de forma proporcional, na verdade o número de casos de mulheres estupradas na Bahia pode ultrapassar os 13 mil. Com isso, 1 em cada 589 mulheres baianas seriam vítimas dessa violência em 2022.

COMO DENUNCIAR

As vítimas de violência sexual podem registrar os crimes online ou presencialmente. A Delegacia Virtual é uma ferramenta importante para vítimas que podem ter dificuldades para se dirigir até uma unidade física. As denúncias podem ser feitas pela internet, no site (clique aqui).
O Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) tem uma assistente virtual, a Judi. Pelo número de WhatsApp (71) 99978-4768, é possível obter informações sobre os tipos de violência doméstica e familiar contra a mulher (psicológica, física, sexual, moral e patrimonial), além de ter acesso aos canais de denúncia.
Os crimes contra crianças, adolescentes e mulheres também podem ser registrados nas delegacias especializadas, como as Delegacias de Atendimento à Mulher (Deams) e as Delegacias de Repressão aos Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Derccas).
Postagem Anterior Próxima Postagem

PUBLICIDADE