Mandante da 'Chacina de Portão' é condenado a 75 anos de prisão; caso aconteceu em 2019 e deixou seis mortos

Foto: Reprodução / TV Bahia

O mandante da chacina que deixou seis pessoas mortas em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, foi condenado a 75 anos de prisão na quinta-feira (17). O crime aconteceu em maio de 2019, e ficou conhecido como "Chacina de Portão".

Conforme divulgado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), Cláudio de Jesus Soares foi condenado pelo homicídio doloso qualificado das seis vítimas e de acordo com denúncia apresentada no mesmo ano, a motivação consistiu em “disseminar o terror na comunidade” a fim de demonstrar o poderio da facção criminosa.
A condenação aconteceu durante sessão do Tribunal do Júri de Lauro de Freitas. A denúncia, sustentada pelo promotor de Justiça Luciano Valadares, foi acatada pela juíza Jeine Vieira Guimarães, que aplicou pena de 12 anos e 6 meses de reclusão para cada um dos homicídios, totalizando 75 anos de prisão. De acordo com a denúncia, Cláudio de Jesus Soares, líder do tráfico de drogas de uma facção, comandou a chacina do Complexo Penitenciário da Mata Escura, onde já cumpria pena por outro delito.
Ainda conforme a denúncia, Cláudio De Jesus Soares convocou três homens e dois adolescentes para o crime, que tinha como objetivo, também, a execução de traficantes e pessoas da comunidade, que é geograficamente dominada por um grupo rival. Após roubarem um carro, os cinco seguiram para a localidade conhecida como “Pé Preto”, onde alvejaram fatalmente a primeira vítima. Eles continuaram até a rua da Boca da Mata e vitimaram mais cinco pessoas, entre elas, uma criança de 12 anos. A denúncia indica, também, que nenhuma das vítimas possuía qualquer envolvimento com atividades criminosas.
Postagem Anterior Próxima Postagem

PUBLICIDADE