Presidenciáveis usam redes sociais para celebrar Bicentenário da Independência

Por Leonardo Costa

Foto: AFP

No dia do Bicentenário da Independência do Brasil, 7 de Setembro, os presidenciáveis usaram as redes sociais para celebrar a data. Há dois anos as comemorações não podiam tomar as ruas do país devido à pandemia da Covid-19. Neste ano, ao menos 25 das 27 capitais brasileiras registraram desfiles. O dia também foi marcado por manifestações de apoiadores dos candidatos à presidência da República.

Veja as declarações abaixo.

No início da manhã, o presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) postou um vídeo em suas redes sociais com show de fogos na Torre de TV, em Brasília, iluminada nas cores da bandeira brasileira, com a seguinte legenda: "Já raiou a liberdade no horizonte do Brasil!".
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) postou um vídeo que compila comícios, com artistas cantando o hino nacional. Na legenda, o petista escreveu: "200 anos de independência hoje. 7 de setembro deveria ser um dia de amor e união pelo Brasil. Infelizmente, não é o que acontece hoje. Tenho fé que o Brasil irá reconquistar sua bandeira, soberania e democracia. Bom dia".
O candidato pelo PDT, Ciro Gomes, fez um post em suas redes sociais com vídeo. Na legenda de um vídeo, o candidato Ciro Gomes (PDT), escreveu: "Viva o 7 de Setembro! E que Deus nos abençoe para que nada nem ninguém sejam capazes de roubar a nossa paz e a nossa liberdade - neste dia ou em qualquer momento da nossa história. Vamos em frente, com a mais profunda esperança de que encontraremos, juntos, um novo caminho".
O candidato do partido Novo, Felipe D'Avila, considerou a data como “liberdade”. "Hoje, comemoramos 200 anos de Independência. Esta é uma data emblemática e que pertence a todos nós. Falar de Independência, aliás, é falar de liberdade. E o que queremos para nosso país é que cada cidadão possa exercer sua Liberdade com responsabilidade.
Após enaltecer a bandeira do Brasil em seu programa eleitoral na terça-feira (6), a postulante ao Palácio do Planalto pelo MDB, Simone Tebet publicou o seguinte texto:
"Às margens do rio Ipiranga, nascia um sonho de liberdade. De um novo Brasil, independente, de todos e para todos. 200 anos se passaram, e vemos que a independência ainda é um sonho a ser atingido. Um país, para ser independente, precisa garantir cidadania ao seu povo. Comida na mesa, educação de qualidade, emprego, renda e lazer. Neste 7 de setembro, reafirmo nosso compromisso em reduzir as desigualdades, erradicar a miséria e acabar com a fome. Vida digna a todos! Com amor e coragem, vamos mudar o Brasil de verdade!".
A senadora e candidata pelo União, Soraya Thronicke, através de nota, pontuou que o Brasil precisa voltar a ser prospero. “Hoje, eu estou vestida de amarelo, uma das cores da nossa bandeira. A cor significa prosperidade e riqueza — muito diferente do que a gente está vendo por aí; diferente do que a gente está vendo pelos quatro cantos do País, que é fome, desalento, desemprego, desespero. Pior do que o ódio, é o medo que estão tentando implantar em nós. Nada de medo! Vamos juntos, todos, porque o Brasil é nosso! As cores são nossas! A bandeira é nossa!”
A candidata Vera Lúcia (PSTU) escreveu em suas redes sociais, mas não fez referência direta à celebração. “Bolsonaro e suas ameaças não passarão”, disse em sua publicação.
Já Sofia Manzano (PCB) falou que a “classe dominante” vem se apropriando de pautas identitárias ao “exaltar Leopoldina” — a primeira esposa do Imperador D. Pedro I. Ela destacou a posição da imperatriz como mulher e afirmou que 7 de Setembro é dia de luta dos excluídos.
Postagem Anterior Próxima Postagem

PUBLICIDADE