Briga de torcidas organizadas de Bahia e Vitória tem três feridos; PM prende 53 torcedores

Foto: Reprodução

Uma briga entre integrantes da Torcida Uniformizada Os Imbatíveis (TUI), ligada ao Vitória, e da Torcida Organizada Bamor, ligada ao Bahia, terminou com pelo menos três homens feridos no início da tarde deste domingo (4), nas proximidades do Largo da Argeral, no bairro de São Caetano, em Salvador.
Em vídeos que circulam nas redes sociais, é possível ver homens vestindo camisetas da TUI agredindo três outros rapazes, já no chão e desacordados. De acordo com a Polícia Civil, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e levou as vítimas para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas ainda não há detalhes sobre os estados de saúde dos três homens.
A Polícia Militar da Bahia (PM-BA) chegou a ser acionada para conter a confusão e deteve 53 homens uniformizados com os símbolos da TUI, já depois das agressões. Eles se preparavam para ir ao Barradão no fim da tarde deste domingo, quando o Vitória enfrenta o ABC do Rio Grande do Norte, em um jogo pela segunda fase da Série C do Campeonato Brasileiro.
Apesar do Bahia ter jogado neste sábado (3) em uma outra competição (saiba mais aqui), é esperado que integrantes da Bamor também compareçam ao Barradão para o jogo do Vitória, devido à aliança da organizada tricolor com a Garra Alvinegra, grupo ligado ao ABC, que esteve com uma bandeira durante do jogo na Fonte Nova.
Os 53 torcedores presos pela PM-BA foram encaminhados para a Central de Flagrantes, da Polícia Civil da Bahia, que investiga o caso. A ocorrência ainda está em processo de formalização e os envolvidos ainda serão ouvidos.

NOTA DO BAHIA

O Esporte Clube Bahia divulgou uma nota lamentando as agressões e declarou que os feridos são "vítimas da impunidade". Segundo o clube tricolor, a violência é resultado da lentidão e da falta de firmeza das autoridades públicas em punir os agressores no meio do futebol.
"Mais de seis meses depois, ninguém foi responsabilizado pelo atentado ao nosso ônibus, em fevereiro, para citar apenas um exemplo de um caso absolutamente extremo. O recado que passa é: tudo pode; tá tudo liberado", reclamou o Bahia.
No caso lembrado pelo Bahia, ocorrido em fevereiro, quatro integrante da Torcida Organizada Bamor foram indiciados por "lesão corporal leve" quase cinco meses depois, no início de julho (relembre aqui). O atentato ao ônibus tricolor, com bombas de fabricação caseira, feriu com certa gravidade o goleiro Danilo Fernandes.
Postagem Anterior Próxima Postagem