Game quer ajudar a ensinar educação financeira para crianças

Foto: Divulgação

Com foco em ensinar princípios da educação financeira para crianças, o jogo Bolodim traz uma proposta que promete aliar diversão e conhecimento. A plataforma, que tem como foco os pequenos entre 5 e 11 anos, permite que os usuários poupem moedas durante o jogo para fazer com que seu bolo virtual cresça até o final do ano letivo. Durante o percurso, os jogadores são confrontados com dilemas que envolvem conceitos da economia, como oferta e demanda, concorrência, empreendedorismo e tomadas de decisão.
O modelo de negócios da B25, produtora do game, é baseado tanto nas vendas de assinaturas individuais, que custam R$ 9,80 por mês, quanto em parcerias com instituições de ensino público e privadas. O jogo está disponível para dispositivos iOS, Android e computador. “Temos conversas com secretarias grandes, tanto de estados, quanto de prefeituras e todas com feedback positivo”, conta Eduardo Curralo, fundador da produtora e idealizador do jogo. Segundo ele, novas parcerias devem ser anunciadas em breve.
A produção do Bolodim levou cerca de 1 ano e meio, desde os estudos para criação do game até o desenvolvimento final e testes com diferentes crianças. O processo contou com ajuda de especialistas na área de educação e programadores com experiência em games voltados para o público infantil.
Curralo atuou no mercado financeiro durante 16 anos antes se aventurar no mundo dos jogos em 2019. Ele conta que a motivação para a criação do Bolodim partiu da percepção de que o assunto não era tratado desde cedo com as crianças. “As pessoas me diziam: Edu, se eu tivesse aprendido isso desde criança eu seria outra pessoa”, relembra.
Um novo negócio fechado pela empresa prevê que o número de usuários do game salte de 1,3 mil para 16 mil. “Fechamos uma parceria com uma multinacional do varejo norte-americana, que vai oferecer o acesso ao Bolodim para seus 14 mil colaboradores”, explica Curralo.
A ideia da B25 é escalar o alcance do jogo da maneira mais rápida possível, sem perder a qualidade do produto. Uma nova versão do jogo, adaptada para estudantes no Ensino Fundamental II e Ensino Médio, já está sendo desenvolvida e deve estrear no mercado no início de 2023.

Estadão Conteúdo
Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade

 PUBLICIDADE

Publicidade