Ômicron: reforço da Pfizer aumenta proteção em crianças de 5 a 11 anos

Empresas devem solicitar a autorização para uso emergencial da 3ª dose para a faixa etária nos próximos dias

Criança é vacinada contra a Covid-19 em São Paulo

Nesta quinta-feira (14), a Pfizer e a BioNTech divulgaram que uma terceira dose da vacina contra a Covid-19 da Pfizer produziu proteção significativa contra a variante Ômicron em crianças de 5 a 11 anos.
Segundo o estudo, a análise do soro sanguíneo de alguns participantes pediátricos que receberam o reforço teve um aumento de 36 vezes nos anticorpos neutralizantes contra a variante. Os anticorpos neutralizantes contra a cepa original da doença aumentaram seis vezes após a nova dose da vacina.
Continua após a publicidade
A análise testou a segurança e a imunogenicidade de uma dose de reforço de 10 microgramas em 140 crianças saudáveis de 5 a 11 anos.
Segundo as empresas, os dados reforçam a função potencial de uma terceira dose do imunizante, com o objetivo de manter altos os níveis de proteção contra o vírus nessa faixa etária.
Nos próximos dias a Pfizer e a parceira alemã pretendem solicitar a Autorização de Uso de Emergência de uma dose de reforço na faixa etária de 5 a 11 anos, com envios adicionais para agências reguladoras globais, incluindo a Agência Europeia de Medicamentos (EMA).
A FDA, agência reguladora norte-americana, autorizou uma terceira dose da vacina para o grupo de 12 a 15 anos no início do ano, e para as crianças de 5 a 11 anos que não são imunocomprometidas.
O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) informou que cerca de 8 milhões de crianças entre 5 e 11 anos nos Estados Unidos já estão totalmente vacinadas.
Postagem Anterior Próxima Postagem