Lula tem 45%, Bolsonaro 31% e Ciro 8%, aponta pesquisa Ipespe

Pesquisa Ipespe divulgada na sexta-feira, 22, mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na liderança da disputa pelo Palácio do Planalto, com 45% das intenções de voto. O presidente Jair Bolsonaro (PL) vem em segundo lugar, com 31%.
Em seguida, aparecem o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), com 8%, e o ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 3%. O deputado federal André Janones (Avante) e a senadora Simone Tebet (MDB) têm 2%. Felipe d’Avila (Novo), Eymael (DC), e Vera Lúcia (PSTU) não pontuaram na pesquisa.
Brancos, nulos, eleitores que dizem que não iriam votar ou que não votariam em nenhum dos candidatos somam 7%. Eleitores que não sabem ou não responderam representam 2% dos entrevistados.
O levantamento ainda mostra um cenário cristalizado de polarização entre Lula e Bolsonaro. Na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados, o petista foi citado como intenção de voto por 38% dos entrevistados, enquanto o atual chefe do Executivo ficou com 28%. Em seguida, vêm Ciro (4%), Doria (1%), Janones (1%), Sérgio Moro (1%) e Simone Tebet (1%). Eduardo Leite e Felipe D’Avila não pontuaram.
A pesquisa ainda mostra que Lula venceria em todos os cenários de segundo turno. Contra Bolsonaro, o ex-presidente levaria a disputa por 54% a 34%. Em um cenário contra Ciro, o placar seria de 52% a 24%. Já em disputa com Doria, Lula venceria por 55% a 19%.
Bolsonaro perderia para Ciro (46% a 38%), mas empataria tecnicamente com o ex-governador de São Paulo (39% a 38% para o presidente).

Governo Bolsonaro é ruim ou péssimo para 52%

O governo Bolsonaro é ruim ou péssimo para 52% dos brasileiros, segundo a pesquisa Ipespe. Para 30% dos entrevistados, a gestão é ótima ou boa.
Outros 16% avaliam a administração como regular. Não sabe ou não responderam, 2%. O levantamento também aponta que 62% dos entrevistados desaprovam o governo, enquanto 34% aprovam a maneira de Bolsonaro gerir o País. Não sabe ou não responderam, 4%.
O Ipespe mediu ainda a percepção dos brasileiros sobre a economia. Para 62%, a condução da política econômica está na direção errada. Outros 31% avaliam que o caminho adotado pela gestão é correto. Não sabe ou não responderam, 7%.
Foram ouvidas 1.000 pessoas por telefone entre 18 e 20 de abril. A pesquisa, encomendada pela XP Investimentos, foi registrada na Justiça Eleitoral com o número BR-05747/2022. A margem de erro máximo estimada é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,45%.
Postagem Anterior Próxima Postagem