Uma mão na trança, outra no celular: trancistas usam redes para ampliar negócios


(Acervo pessoal)

O Tik Tok e, depois, o reels do Instagram entregaram aos usuários de redes sociais um modelo curto e direto na hora de compartilhar momentos. E a galera se jogou na nova forma, que é sucesso absoluto nestes aplicativos. Agora, mais do que fazer publicações de poucos segundos para se divertir, teve quem usou o formato, com dancinha, dublagem e tudo que tem direito, para dar um boom no próprio negócio.
Trancistas da Bahia viram a onda chegar, surfaram e, de quebra, se transformaram em verdadeiras blogueiras com milhares de seguidores. Para além disso, usaram esse reconhecimento como pilar para ampliar suas redes de clientes, impulsionar sua empresa e até diversificar os serviços que romperam as fronteiras do território baiano.
Andrezza Miranda, 26 anos, é trancista desde de 2019. Antes da pandemia e do sucesso dos vídeos curtos, trabalhava trançando o cabelo de amigas da irmã, em Itapetinga, no sudoeste da Bahia. Depois de passar a fazer vídeos relacionando as trends com o seu negócio, viu o que era uma forma complementar de renda virar um negócio de sucesso. Hoje, ela trança e ainda vende laces (perucas), box braids e fibras para todo o Brasil.
"Meu público era de Itapetinga. Depois, corri muito e passei a ter em Salvador. Hoje, meu principal negócio é o envio de cabelos como rabo de cavalo e wig, que é peruca, pro Brasil todo. Tô querendo agora fazer para fora do país", conta ela, que tem clientes em estados como Pará, Pernambuco, Acre e o Distrito Federal.

Redes como pilar

O crescimento e a diversificação do negócio de Andrezza andaram em paralelo com a sua subida no Instagram. Em oito meses, ela saiu de mil para 17 mil seguidores na rede. Tudo porque ela tem a produção de conteúdo como parte do trabalho, onde relaciona as trends e áudios do momento com a sua rotina como trancista.
"É trançando, gravando e postando. Faço bastante brincadeira com a realidade de quem é trancista e também dos clientes. É piada com fiado, com a vontade do povo de trançar. Meu primeiro vídeo com um milhão de visualizações foi nessa pegada. E o povo se identifica", fala ela. Leia a matéria completa Aqui...
Postagem Anterior Próxima Postagem