Bolsonaro diz que aumento é "insuportável", mas pede "compreensão" de caminhoneiros

Questionado sobre uma possível troca do comando da Petrobras, Bolsonaro desconversou. "Todo mundo pode ser trocado, menos eu e o vice."

Jair Bolsonaro ainda não conversou com os caminhoneiros sobre o novo reajuste da Petrobras, mas disse estar ciente de que estão “chateados” e pediu “compreensão”. Segundo ele, o aumento dos combustíveis em vigor desde ontem será compensado pelo projeto aprovado que fixa a alíquota de ICMS e zera o PIS/Cofins sobre o diesel.
“Peço a compreensão deles. Entendo que a partir de hoje (ontem) subiu, sim, R$ 0,90 o preço do diesel, mas hoje diminuiu R$ 0,60. Espero que na ponta aqui, na bomba, esse valor se faça presente”, afirmou. O presidente classificou de “insuportável” o aumento, mas se esquivou de qualquer responsabilidade.
“O brasileiro tem que entender que quem decide esse preço não é o presidente da República. É a Petrobras com os seus diretores e o seu Conselho.” Ele comentou também a ameaça de greve da categoria. “Tem muito caminhoneiro que… alguns falam em greve. Sei disso. Lamento. Espero que não haja.”
Questionado sobre uma possível troca do comando da Petrobras, Bolsonaro desconversou. “Todo mundo pode ser trocado, menos eu e o vice.”
Postagem Anterior Próxima Postagem