Lista de técnicos estrangeiros do Brasileiro-2021 é alta, mas ainda sobram desafios para afirmação


Lista de técnicos estrangeiros do Brasileiro-2021 é alta, mas ainda sobram desafios para afirmação Abel Ferreira e Juan Pablo Vojvoda se sobressaem. LANCE! faz um panorama da temporada marcada por dificuldade de adaptação, passagem rápida e também voto de confiança

A busca por atravessar fronteiras continuou a marcar o Campeonato Brasileiro. Dois anos após o português Jorge Jesus comandar o Flamengo campeão brasileiro e da Copa Libertadores, a lista de técnicos estrangeiros na Série A aumentou. Enquanto no ano de 2020 havia sete nomes, a edição recém-encerrada trouxe um recorde nos pontos corridos: nove comandantes de outras nacionalidades desembarcaram no Brasil. Contudo, sobraram peculiaridades e desafios nesta rotatividade.


AINDA SOB ‘EFEITO’ DE JORGE JESUS

‘Gestores viram a possibilidade de tornar a exceção uma regra’, afirma Carlos Eduardo Eboli sobre ‘idealização’ de estrangeiros (Foto: Tânia Paulo / SL Benfica)

Ao LANCE!, o comentarista esportivo das rádios CBN / Globo, Carlos Eduardo Eboli, critica a visão míope dos gestores do futebol nacional ao contratarem treinadores. Aos seus olhos, a associação ao trabalho de Jorge Jesus no Flamengo contribui para a chegada de imigrantes.
– A cultura de gestão no futebol brasileiro é muito mais movida por ondas na hora de contratar treinadores do que por convicções. O número elevado de técnicos estrangeiros tem reflexo ainda no trabalho do Jorge Jesus no Flamengo em 2019. Os gestores dos demais clubes viram a possibilidade de transformar a exceção em uma regra. Acaba se tornando uma mera imitação, sem critérios próprios. Em vez de um estudo aprofundado sobre um profissional, o clube vai atrás apenas do passaporte – declarou.

O próprio Jesus tem seu nome pedido pela torcida rubro-negra com frequência nas redes sociais. Continue lendo AQUI
Postagem Anterior Próxima Postagem