Eleições no Chile dirão se a América Latina caminha para um novo ciclo progressista

Desde o resultado que confirmou o segundo turno entre o jovem candidato da esquerda Gabriel Boric e o pinochetista José Antonio Kast, mais votado no primeiro turno, houve uma mudança nos discursos dos dois adversários. Boric passou a dar ênfase ao tema segurança pública, espinhoso para os progressistas, enquanto Kast amenizou o estilo “bolsonarista”: desistiu das propostas de extinguir o Ministério da Mulher e de retirar o país de organismos internacionais, entre eles a Comissão de Direitos Humanos da ONU. São recuos táticos na mais acirrada disputa presidencial dos últimos tempos. Cerca de 15 milhões de eleitores vão escolher o próximo presidente no domingo 19. Continue lendo...
Postagem Anterior Próxima Postagem