Mande Bolsonaro se vacinar contra Covid-19, diz prefeito de NY a Michelle

Em mais uma alfinetada ao presidente Jair Bolsonaro, o prefeito de Nova York, o democrata Bill de Blasio, comentou a notícia de que a primeira-dama se vacinou contra a Covid-19 na cidade americana e aproveitou para voltar a criticar o mandatário brasileiro.
“Mande seu marido se vacinar também para que ele pare de ser um perigo para outras pessoas”, escreveu De Blasio em rede social nesta quarta-feira (29).
Bolsonaro até hoje afirma não ter se vacinado contra a doença que matou quase 600 mil brasileiros até agora. Na última semana, o presidente disse que a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, vacinou-se em Nova York, durante a viagem do casal à Assembleia-Geral das Nações Unidas.
“Olha o que aconteceu com minha esposa agora nos Estados Unidos. Veio conversar comigo: ‘Tomo ou não tomo a vacina?’. Dei minha opinião, não vou falar aqui qual foi. Ela tomou a vacina. É maior de idade, tem 39 anos, e sabe o que faz”, disse o presidente no último dia 23.
Depois de pressionar, sem sucesso, a ONU para barrar a visita de chefes de estado que não estivessem imunizados, a prefeitura de Nova York montou um centro de vacinação em frente à sede da entidade para atender às delegações internacionais que participassem do evento.
Antes mesmo da assembleia, Bill de Blasio já havia questionado a visita do presidente brasileiro. “Devemos mandar uma mensagem a todos os líderes mundiais, incluindo, mais notavelmente, o presidente do Brasil, Bolsonaro. Quem quer vir precisa estar vacinado. Se você não quer se vacinar, não se incomode em vir”, afirmou. A transmissão oficial da Prefeitura de Nova York ainda colocou uma foto de Bolsonaro com a legenda: “vacine-se”.
Nova York foi um dos locais mais afetados pela Covid-19 nos Estados Unidos, com 34 mil mortes. No pico da doença, em abril do ano passado, a cidade sozinha registrou dias com média de mais de 800 mortes.
Com a vacinação em massa e restrições como a exigência de comprovante de vacinação para locais fechados, a cidade conseguiu sobreviver a outras ondas da doença que atingiram os Estados Unidos, inclusive a atual, com o avanço da variante delta, quando o país voltou a registrar mais de 2.000 mortes por dia.
O prefeito Bill de Blasio já teve outros atritos públicos com Bolsonaro. Em 2019, quando o Museu de História Natural dos EUA se recusou a sediar um jantar em homenagem ao brasileiro, ele elogiou a iniciativa e afirmou que o presidente é um “homem perigoso”.
Após troca pública de ofensas, o democrata afirmou que Bolsonaro “fugiu”. “Nenhuma surpresa, valentões não aguentam um soco. Já vai tarde.”​

Folhapress

Bahia Extra

Bahia Extra Comunicação a serviço do leitor!

0 Comentarios:

Postar um comentário