Bolsonaro estimula a divisão, o ódio e a violência em vez de somar, declara Lula

O ex-presidente Lula (PT) afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “estimula a divisão, o ódio e a violência” em vez de somar. As declarações foram dadas em pronunciamento do petista sobre o dia 7 de setembro, divulgado na noite de segunda (6) nas redes sociais.
“O 7 de setembro é um dia de compartilhar nossas conquistas: a melhoria da qualidade de vida e o crescimento que colocou o Brasil entre as seis maiores economias do mundo. Mesmo nos momentos difíceis era o dia de levar uma mensagem de fé e esperança na construção de um país soberano e mais justo, um Brasil verdadeiramente independente”, diz Lula em vídeo.
Ele segue afirmando que o papel de um Presidente da República é o de “manter acesa a confiança no presente e no futuro, mostrar que é possível superar os obstáculos”. “Especialmente neste 7 de setembro de um ano tão difícil, era de se esperar um gesto assim de quem está governando o país”, afirma Lula.
O petista também diz que era de se esperar que, hoje dia 7 de setembro, Bolsonaro confortasse as famílias vítimas da epidemia da Covid-19 e anunciasse um “plano para garantir vacina para todos, pondo fim a essa angústia que a população está vivendo”.
“Mas ao invés de anunciar soluções para o país, o que ele faz nesse dia é chamar as pessoas para a confrontação, é convocar atos contra os poderes da República, contra a democracia que ele nunca respeitou. Ao invés de somar, estimula a divisão, o ódio e a violência. Definitivamente não é isso que o Brasil espera de um presidente”, segue o ex-presidente.
“Basta sair na rua para ver que o brasileiro está sentindo na pele a destruição do país”, continua Lula.
Ele diz ainda que a “fome, a pobreza, o desemprego e a desigualdade não são mandamentos divinos”. “São resultados de erros que nós podemos e devemos corrigir para mudar essa situação. Mudar com coragem, com confiança na nossa gente e com democracia sempre. Eu sei que a vida nunca foi tão dura para a imensa maioria do nosso povo, mas eu aprendi a acreditar sempre na força dos brasileiros e das brasileiras”, finaliza.

Mônica Bergamo/Folhapress

Bahia Extra

Bahia Extra Comunicação a serviço do leitor!

0 Comentarios:

Postar um comentário