Babá agredida por patroa diz que passava fome: ‘Não há corpo que aguente’

Raiane Ribeiro, babá que pulou do terceiro andar de um prédio, em Salvador, para fugir dos maus-tratos que sofria de Melina França, afirmou que, além das agressões cometidas pela patroa, registradas em um vídeo divulgado ontem, também passava fome durante as horas de serviço e chegou a desmaiar. Apesar de saber da importância das imagens para o desenrolar da investigação sobre o caso, Raiane admitiu que prefere não vê-las. “É muito triste passar pelo que eu passei, então é muito difícil de ver. Nem eu consigo ver”, disse a mulher, citando o “desespero” que sentia enquanto trabalhava na casa de Melina.
Segundo Raiane, as agressões mostradas no vídeo foram desencadeadas após ela dizer à patroa que “iria embora”. Ela também revelou que não se trancou no banheiro, de onde pulou, para evitar mais agressões, mas que foi colocada lá pela própria Melina, que tentava mantê-la em cárcere.
Perguntada por que não reagia aos golpes dados pela patroa, Raiane disse que não tinha “estrutura” para responder às agressões e, portanto, só se defendia. “No momento de desespero só queria sair dali”, afirmou. Em um ponto do vídeo, as agressões são tantas que a babá chega a desmaiar.
Segundo ela, isso aconteceu não só pela intensidade dos golpes que sofria, mas porque também não bebia nada e não bem alimentada “Não tem corpo que aguente ficar sem alimentação, sem beber e ainda recebendo pancada. Eu lembro que minha cabeça começou a rodar e eu ficava sem conseguir respirar direito.”

As informações são do UOL

Bahia Extra

Bahia Extra Comunicação a serviço do leitor!

0 Comentarios:

Postar um comentário