Assaí poderá pagar multa de R$ 870 mil após homem ser obrigado a se despir para negar furto

A rede Assaí Atacadista poderá ter de pagar multa de R$ 870 mil após funcionários obrigarem um homem negro a se despir para provocar que não furtou nada de uma unidade localizada em Limeira (SP).
Uma audiência de conciliação entre a rede e o ajudante geral Luiz Carlos da Silva está prevista para ser mediada pela Secretaria da Justiça e Cidadania de São Paulo. Isso porque uma lei estadual concede à pasta o direito de abrir processos administrativos contra práticas de discriminação racial e de aplicar punições a pessoas físicas e jurídicas
Além da multa, a Assaí pode ainda receber advertência ou mesmo ter sua licença estadual cassada. “Quando tomamos conhecimento do caso, imediatamente instauramos o processo administrativo”, disse o secretário da Justiça de SP, Fernando José da Costa, segundo a coluna Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.
A pasta já contatou a defesa de Luiz Carlos da Silva solicitando uma data para a realização da audiência de mediação, que será presidida pelo Tribunal de Justiça de SP. O processo administrativo aberto pelo estado corre paralelamente ao criminal.

Bahia Extra

Bahia Extra Comunicação a serviço do leitor!

0 Comentarios:

Postar um comentário