SEAP nega tortura e maus tratos a internos no Presídio de Jequié


A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária da Bahia se pronunciou sobre as denúncias feitas por familiares de presos que protestaram em frente o CPJ no último sábado (03), alegando espancamento de internos.
Em nota a SEAP informou que na tarde da quinta-feira (1º), no Conjunto Penal de Jequié, um detento foi espancado até a morte por outros prisioneiros que teriam cometido o crime por conta de um desentendimento dentro da prisão. Thiago Araújo Fonseca morreu ainda no pátio do conjunto prisional após ser cercado e atingido por diversos golpes dados pelos outros detentos.
Ainda de acordo com informações da Direção do Conjunto Penal de Jequié, quando a direção tomou conhecimento do que estava acontecendo no pátio, prontamente tentaram chegar ao local do fato, mas não conseguiram em tempo suficiente para evitar a morte de Thiago.
De imediato foi elaborada pela Direção da unidade, SGP e a Inteligência da Seap uma operação, que foi deflagrada com o nome de Jano, para a apuração dos fatos e ocorrências, assim como mapear todo o (CPJ) com o objetivo de executar procedimentos de revista geral em toda a unidade prisional com vista a prevenir crises penitenciárias, avaliar a estrutura de módulos e celas, fazer o reconhecimento de materiais não permitidos e pertences de internos para subsidiar na tomada de decisões em eventos críticos, tudo isso, para a segurança dos internos.
Em momento algum houve agressão dos policiais penais (agentes Penais) contra os internos, os internos agrediram-se mutuamente, causando um óbito. Esta pasta repudia veementemente a utilização da pratica de tortura ou algo similar.

Bahia Extra

Bahia Extra Comunicação a serviço do leitor!

0 Comentarios:

Postar um comentário