Pfizer e BioNTech analisam possibilidade de 3ª dose de vacina para combater variante Delta


Diante da propagação da variante Delta do coronavírus, as farmacêuticas Pfizer e BioNTech planejam recomendar a aplicação de uma terceira dose da vacina contra a Covid-19 desenvolvida por elas. A possibilidade vem sendo analisada após resultados promissores em testes. A variante Delta foi detectada inicialmente na Índia e atualmente já foi identificada em mais de 100 países.
De acordo com reportagem da revista Galileu, a Pfizer e a BioNTech ainda vão analisar mais resultados de estudos para confirmar se a aplicação de uma terceira dose aumentaria a produção de anticorpos contra a cepa, mas já informaram acreditar que um reforço, feito de 6 a 12 meses após a segunda dose, pode ter “níveis mais altos” de proteção contra todas as variantes atuais do vírus, incluindo a Delta.
Além disso, as farmacêuticas também estão trabalhando no desenvolvimento de uma versão atualizada da vacina que possa atingir a proteína viral da variante detectada na Índia. A previsão é que ensaios clínicos do imunizante comecem em agosto, após aprovações regulatórias.
A matéria traz a informação de que as empresas divulgaram resultados preliminares sobre a vacina atual, que ainda serão publicados e revisados. Os dados sinalizam que uma dose administrada seis meses após a segunda aplicação apresentou um “perfil de tolerabilidade consistente” e induziu altos níveis de neutralização contra a versão original do coronavírus e também contra a variante Beta, identificada inicialmente na África do Sul.

Bahia Extra

Bahia Extra Comunicação a serviço do leitor!

0 Comentarios:

Postar um comentário