CPI da Covid não vai recuar com ameaças de Bolsonaro e Forças Armadas, diz senador Paulo Rocha (PT-PA) diz que presidente se mostra acuado ao ver que investigações estão avançando sobre seu governo


Paulo Rocha: 'Bolsonaro, que ficou 20 anos no Congresso, sabe que quando a investigação é esticada na CPI, ainda mais com senadores experientes, mais as contradições ficam explícitas'.
São Paulo – Os senadores da CPI da Covid não deixarão de investigar as omissões e crimes do governo federal, durante a pandemia de covid-19, apesar dos ataques do presidente Jair Bolsonaro e também de membros das Forças Armadas. Segundo o senador Paulo Rocha (PT-PA), continuar as investigações é assegurar o Estado democrático.
Na última quarta-feira (7), o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), decretou a prisão do ex-diretor de logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, por apontar mentiras do depoente. Na avaliação de Rocha, a atitude mostra ao presidente da República que a comissão parlamentar tem autoridade.
“Após a tentativa do próprio Bolsonaro para desmoralizar a CPI da Covid, a investigação recupera sua autoridade para continuar os trabalhos. Por outro lado, isso também está chegando nos militares, que tiveram uma reação descabida. Portanto, a investigação deverá seguir com sua autoridade e não vai adiantar ameaças, seja do presidente da República ou das Forças Armadas, porque o Parlamento precisa continuar para assegurar a democracia”, afirmou aos jornalistas Cosmo Silva e Maria Tereza Cruz, da TVT, no último domingo (11).
Em live nas redes sociais, na última quinta-feira (8), sobre carta entregue pela cúpula da CPI ao Palácio do Planalto, o presidente usou termos chulos para responder os questionamentos. O senador petista acrescenta que o tom do presidente é de alguém preocupado com as investigações.
“Estou no parlamento brasileiro desde 1991, participei das mais diversas CPIs. O Bolsonaro, que ficou 20 anos no Congresso, sabe que quando a investigação é esticada na CPI, ainda mais com senadores experientes, mais as contradições ficam explícitas. Várias pessoas tentam negar seu papel, mas as contradições são encontradas”, acrescentou Rocha.

Bahia Extra

Bahia Extra Comunicação a serviço do leitor!

0 Comentarios:

Postar um comentário