Bolsonaro parece machão, mas emudece frente à CPI, diz Renan Calheiros


O relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), reagiu aos ataques feitos pelo presidente Jair Bolsonaro à comissão.
Na quinta-feira (8), a CPI enviou a Bolsonaro uma carta pedindo manifestação sobre as denúncias feitas pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF). À noite, o presidente usou um palavrão para dizer que não vai responder a comissão: “Sabe qual a minha resposta? Caguei! Caguei para a CPI, não vou responder nada!”
Nesta manhã de sexta (9), Renan disse que Bolsonaro “parece tão machão” ao falar apenas para apoiadores no Palácio da Alvorada, mas recua quando tem de falar com a comissão. “O presidente se recusa peremptoriamente a falar sobre as coisas que interessam à investigação e aos brasileiros, né?! Ele foge. Ele, que parece tão machão ali naquele cercadinho do Alvorada, emudece todas as vezes que a comissão parlamentar de inquérito pergunta as coisas”, declarou o senador.
Sobre o palavrão usado, Renan ironizou e disse que o termo cairia bem como slogan do governo federal. “Eu nunca vi uma só palavra que sintetizasse um governo tanto quanto esta. Aliás, se o governo estava com dificuldade para encontrar um slogan, definitivamente o encontrou”, encerrou.
A CPI ouve hoje o técnico da Divisão de Importação do Ministério da Saúde, William Santana. O servidor teria sido o primeiro a notar que a invoice (espécie de nota fiscal) do contrato de compra da Covaxin continha irregularidades.

Bahia Extra

Bahia Extra Comunicação a serviço do leitor!

0 Comentarios:

Postar um comentário