Polícia apura disputa de terra como motivação da morte de agricultor que denunciou grilagem na Operação Faroeste

A polícia informou nesta sexta-feira (18) que uma disputa de terra é apontada como principal motivação do assassinato do agricultor Paulo Antônio Ribas Grendene, 62 anos, ocorrida em 11 de junho deste ano, na cidade de Barreiras, oeste da Bahia.
Em 2020, a vítima denunciou à polícia que suas terras estavam sendo invadidas por pessoas ligadas às organizações criminosas investigada pela Operação Faroeste, que apura a venda de decisões judiciais para legalização de terras no estado.
Segundo informações da Secretaria de segurança Pública (SSP-BA), detalhes da investigação foram repassados para o titular da pasta, Ricardo Mandarino, e para a delegada-geral da Polícia Civil, Heloísa Brito, durante reunião em Barreiras.
O titular da 11ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Barreiras), delegado Rivaldo Luz, contou que imagens de câmeras, na região do bairro de Bandeirantes, onde o crime ocorreu, estão sendo analisadas. "Ouvimos ainda nove testemunhas, e a apuração está avançada", disse.
Na noite do dia 11 de junho, Paulo Antônio passava de carro pelo bairro, quando foi interceptado por dois homens armados e encapuzados. A dupla disparou várias vezes contra a vítima, que morreu na hora.
Grendene era paranaense e morava na Bahia há 30 anos. O corpo dele foi levado para a cidade de Nova Londrina (PR), onde ele nasceu, e foi sepultado no domingo (13).

Bahia Extra

Bahia Extra Comunicação a serviço do leitor!

0 Comentarios:

Postar um comentário