Pedidos de recuperação judicial e falência crescem mais de 50% em maio, aponta Serasa

Os pedidos de falências e recuperações judiciais no país registraram um forte aumento em maio, na comparação com abril, atingindo sobretudo micro e pequena empresa do setor de serviços, segundo levantamento da Serasa Experian antecipado ao G1.
No mês de maio foram registrados 92 pedidos de recuperação judicial, uma alta de 48,4% na comparação com abril, quando foram registradas 62 solicitações. Já os pedidos de falência tiveram um salto de 58,5% frente ao mês anterior. Foram 103 em abril, contra 65 em abril.
Os números de maio foram os mais negativos já registrados no ano, embora ainda abaixo do volume de pedidos dos meses de junho, julho e agosto do ano passado.
Somados, os 195 pedidos requeridos de recuperação judicial e falências em maio representam um aumento de 53,5% na comparação com abril.
No acumulado nos 5 primeiros meses de 2021, o número de solicitações de recuperação judicial tem queda de 21,2% na comparação com o período de janeiro a maio de 2020. Já o número de falências requeridas é 2% menor. Os dados da Serasa mostram que as micro e pequena empresas, sobretudo as do setor de serviços, seguem como as mais afetadas pela pandemia do coronavírus e as mais impactadas por processos de insolvência.
Do total de 92 pedidos de recuperação judicial feitos em maio, 60 foram de micro e pequenas empresas, 24 de empresas médias e apenas 8 de grandes empresas. Nos 103 casos de requisição de falência, 70 envolveram micro e pequenas empresas, 21 empresas grandes e 12 empresas médias.
Segundo o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, o resultado acompanha o aumento da inadimplência das empresas, com maior representatividade dos empreendimentos micro ou pequenos. O dado mais recente da Serasa mostra os pequenos negócios respondem por 92,4% do total de empresas com contas negativadas.
“O abre e fecha impacta diretamente as companhias menores, que não contam com reservas e enfrentam a redução das linhas de crédito especiais. Por isso, elas ainda patinam na recuperação e são maioria nesses indicadores”, afirma o economista.
Na análise por setores, o levantamento da Serasa revela que o setor de serviços concentrou 62 pedidos de recuperação judicial em maio e 60 solicitações de falência. Na sequência, aparece o comércio e a indústria.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário