Atos de 19 de junho: 500 mil mortes e vinda da Copa serão novos fatores de indignação, dizem lideranças

Fonte: CartaCapital

A proximidade da marca de 500 mil mortes por Covid-19 e o anúncio da Copa América no Brasil darão novos e tristes contornos aos atos contra o presidente Jair Bolsonaro, planejados para 19 de junho. Movimentos sociais consideraram que houve “vitória política” nos protestos massivos de 29 de maio e decidiram, em plenária na manhã da quarta-feira 2, repetir a mobilização. Cerca de 20 organizações participaram da reunião.
Os atos são convocados pela Campanha Fora Bolsonaro, da qual fazem parte as frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular, blocos que representam campos políticos diferentes entre os movimentos. Uma plenária para a qual são esperadas centenas de pessoas deve ocorrer em 10 de junho, para consolidar as cidades em que haverá mobilizações.
A escolha da data de 19 de junho, e não antes, é relacionada ao tempo de articulação entre as bases, de forma a assegurar capilaridade. O objetivo é superar os 213 municípios alcançados no último protesto. Também não se quis adiar tanto, porque é citada a possibilidade de já neste mês o Brasil ultrapassar 500 mil mortes por Covid. O País fechou a quarta-feira 2 com 467 mil óbitos e 16,7 milhões de casos, sendo que em 24 horas registrou mais de 2,5 mil falecidos e 95 mil infectados.... Leia mais AQUI
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário