Professor que estava desaparecido é encontrado morto em cova na Bahia

As buscas pelo professor concursado de geografia, Maikon Wesley Evangelista Brito Barros, de 33 anos, desaparecido desde o dia 6 de abril, chegaram ao fim na última quarta-feira (12). Mas foi de uma forma triste. O corpo do docente foi encontrado em uma cova, na zona rural de Mundo Novo, na Chapada Diamantina, após mais de um mês de angústia da família. A causa e a motivação do crime ainda não foram divulgadas.
O corpo foi encontrado em uma cova, embaixo de uma árvore na Fazenda Piscina, na zona rural do município de Mundo Novo, e foi identificado, posteriormente, como sendo do professor. Segundo a Polícia Civil, um suspeito detido levou a equipe policial até o lugar da ocultação.
O reconhecimento do corpo foi feito pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT), que encaminhou para a perícia médica legal. No dia que desapareceu, Maikon tinha ido viajar da cidade de Tapiramutá, na Chapada, local onde reside, para a cidade de Mundo Novo. Ele estava em um veículo preto, de quatro portas.
A Secretaria de Tapiramutá emitiu, na quinta-feira (13), uma nota de pesar pelo falecimento de Maikon, que era professor na Rede Municipal de Ensino. “Com profunda tristeza, recebemos a notícia do falecimento do colega, professor e amigo Maikon Barros”, disse.
O Colégio Estadual João Queiroz, do qual Maikon era professor, também lamentou a morte.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário