Médicos na Índia fazem alertas contra uso de esterco de vaca como prevenção à Covid

Pessoas na Índia estão se banhando com esterco bovino para se proteger contra a Covid-19. Médicos do país alertam que prática não protege do vírus e não tem benefícios no tratamento contra a doença.
Vídeos de pessoas no estado de Gujarat circulam pelas redes sociais. Imagens mostram pessoas que se reúnem em currais para se banhar de esterco, urina e leite, na esperança de evitar a contaminação ou até se curar da doença. A Índia está sofrendo com uma crise sanitária grave pela alta taxa de contaminação por coronavírus, que já infectou mais de 22,6 milhões. O país já superou a marca de 246 mil mortes e atingiu no último sábado (8) seu recorde de mortes diárias, com 4.187 falecidos.
Em 2020, integrantes do governo já haviam feito declarações polêmicas, ao recomendar homeopatia e ioga como tratamentos ao coronavírus. Na mesma época, Suman Haripriya, que integra a Assembleia Legislativa do país, sugeriu o uso do esterco e da urina de vaca na prevenção e na cura da Covid-19. O uso de dejetos de vacas para rituais religiosos não é incomum no hinduísmo, a maior religião na Índia, e costumam ser usados para fins terapêuticos. A crença é que o estrume pode auxiliar no aumento da imunidade. No entanto, não há comprovação científica que a prática tenha efeito contra o vírus da Covid-19.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário