COVID-19: HOMEM NÃO PERMITE SER VACINADO POR VOLUNTÁRIA NEGRA EM ILHÉUS

Thaís foi vítima de injúria racial

Uma estudante de Ilhéus foi vítima de injúria racial numa unidade de saúde do município do sul da Bahia. Thaís Carvalho, de 30 anos, que é estudante de enfermagem e voluntária, denuncia que, por ser negra, um homem não aceitou ser vacinado por ela contra o novo coronavírus, na segunda-feira (17).
Voluntária na campanha de vacinação contra a Covid-19 em Ilhéus, Thaís Carvalho atua no Centro de Referência e Assistência Social Norte (Cras), no bairro Jardim Savóia. ” Entendo que a população precisa ser vacinada, sim, eu decidi doar um tempo para a imunização”, explica.
A voluntária relata que ontem foi surpreendida depois que uma mulher pediu que uma das vacinadoras fosse até o carro dela para aplicar a dose de imunizante em um homem, que seria o pai dela. Thaís Carvalho dirigiu-se até o veículo e perguntou se o homem queria que ela o vacinasse logo.
O senhor teria respondido que não. ” Perguntei: o senhor já fez a ficha? Ele respondeu: minha filha está fazendo, mas você, não (vai me vacinar). Foi aí que questionei: por que não eu? O homem respondeu: porque você é negra. Na hora, eu não tive reação”, relatou a vacinadora voluntária.
Thaís Carvalho explica que imaginou que estiaria preparada para situação parecida. “Eu sempre pensei se isso acontecer comigo, eu agirei de tal maneira. Mas não consegui, senti-me completamente impotente. Fui fazer outra vacinação e quando voltei, o homem já tinha deixado o local”, contou.

QUEIXA NA DELEGACIA

A voluntária informou que não desistiu de buscar punição para o agressor. Ela vai prestar queixa contra o homem e espera que ele seja identificado.
O secretário de Saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, condenou a atitude do criminoso. “Mesmo em um país miscigenado, a gente ainda observa comportamentos como esses, que deveriam ser abolidos da sociedade. Devemos apoiar totalmente essa funcionária e agradecê-la por estar como voluntária no processo de vacinação”, disse o secretário de saúde”.
De acordo com o Código Penal, a injúria consiste na conduta de ofender a dignidade de alguém, com elementos referentes à sua raça, cor, etnia, religião, idade ou deficiência. Em caso de condenação, o acusado pode pegar até três anos de prisão. Da redação com informações da TV Santa Cruz.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário