No aniversário do golpe militar, Bolsonaro diz que ‘não discute a História’

Nesta quarta-feira, mais cedo, o ministro nomeado da Defesa, Walter Braga Netto, afirmou que os militares “não faltaram no passado e não faltarão sempre que o País precisar”, ao oficializar as escolhas dos novos comandantes das Forças Armadas feitas por Bolsonaro

No dia do aniversário do golpe de 1964, o presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) criticou nesta quarta-feira, 31,, em sua conta no Twitter os que “apagam fotos ou fatos”, ao lembrar a aprovação, pelo Congresso, de um projeto de resolução que anulou a sessão legislativa que destituiu o então presidente João Goulart, em 1964. O Legislativo invalidou a sessão de destituição de Jango numa votação em 21 de novembro de 2013.
“Em abril/2013 o Congresso anulou a sessão de 02/abril/64, que destituiu o Presidente João Goulart”, recordou Bolsonaro. O presidente afirmou no tuíte que não discute a História, mas que “verdadeiros democratas não apagam fotos ou fatos”. “Deus abençoe o Brasil e guarde nossa liberdade!”, postou, ao finalizar a mensagem, acompanhada de uma foto antiga de Bolsonaro com farda do Exército.
Nesta quarta-feira, mais cedo, o ministro nomeado da Defesa, Walter Braga Netto, afirmou que os militares “não faltaram no passado e não faltarão sempre que o País precisar”, ao oficializar as escolhas dos novos comandantes das Forças Armadas feitas por Bolsonaro.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário