Justiça determina penhora de direitos autorais de livro de Eduardo Cunha

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou a penhora dos direitos autorais do livro “Tchau, Querida: O Diário do Impeachment”, de autoria do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha. A obra, que relata detalhes sobre o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, será lançada neste sábado (17).

A decisão pela penhora é da juíza Virginia Lúcia Lima da Silva, da 20ª Vara Cível.

De acordo com publicação do tribunal, os valores penhorados servirão para o pagamento de honorários advocatícios relativos a um processo movido por Cunha contra a Infoglobo. A ação versava sobre uma reportagem que citava um projeto de lei que queria instituir o Dia do Orgulho Heterossexual, de autoria do ex-deputado.
“Como perdeu a ação e não foi encontrado dinheiro em sua conta bancária para ser penhorado, a juíza determinou a penhora dos direitos autorais sobre o livro”, afirma o tribunal em nota.
Cunha, que está em prisão domiciliar, promete “detalhes inéditos e minuciosos” sobre a batalha do ex-presidente Michel Temer (MDB) para derrubar Dilma.

Mônica Bergamo/Folhapress
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário