HOSPITAIS DE ILHÉUS, JEQUIÉ E PORTO SEGURO RECEBEM CAPACETES PARA TRATAR COVID-19

Capacetes especiais serão usados no tratamento de pacientes em todo o estado

O Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus, no sul da Bahia, e os hospitais Regional e Prado Valadares, em Jequié, no sudoeste do estado, estão entre as unidades que receberão capacetes especiais – equipamentos de ventilação mecânica não-invasiva (VNI) que podem ser utilizados associados a um ventilador mecânico, de forma que não haja necessidade de intubar o paciente com diagnóstico do novo coronavírus (Covid-19).
A Secretaria da Saúde da Bahia adquiriu 400 unidades do capacete (Helmet). No primeiro momento, 270 unidades estão sendo encaminhadas para 13 hospitais da rede referenciada para o tratamento da doença em toda a Bahia. Esse equipamento já é usado no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna, desde o início do ano, com ótimos resultados. Ele também já é utilizado no Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães.
A utilização do capacete especial pode reduzir de forma significativa tanto a inflamação pulmonar quanto o esforço do paciente para respirar, prevenindo a intubação e evitando a ventilação mecânica invasiva com alto risco. Por se tratar de um dispositivo vedado, o capacete pode diminuir drasticamente as chances de contaminação dos profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à Covid-19.
A Sesab está distribuindo 150 unidades de tamanho G e 120 de tamanho M para os seguintes hospitais: Espanhol, Metropolitano e Arena Fonte Nova, em Salvador; Hospital Regional da Chapada, Seabra; Hospital Geral Clériston Andrade, Feira de Santana; Hospital do Oeste, Barreiras; Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus; Hospital Regional Deputado Luís Eduardo Magalhães, Porto Seguro; Hospital Regional de Jequié, Hospital Regional Prado Valadares, em Jequié; Hospital de Caetité; Costa do Cacau, em Ilhéus.
A estrutura do capacete permite a formação de um ambiente com pressão positiva e enriquecido com oxigênio. A maior parte do material é feita com PVC atóxico, sendo a membrana de vedação do pescoço produzida com látex ou silicone, o que garante conforto e facilidade de ajuste para cada paciente. Em Vitória da Conquista, o equipamento já está em uso no Hospital Geral, que recebeu 50 unidades.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário