Estudante cearense perde 6 familiares para Covid em 45 dias

"A gente nunca imaginou ter que ligar para o cemitério em tão curto espaço de tempo para comprar jazigos e deixar reservado por ter pessoas [da família] hospitalizadas. É uma coisa inexplicável". O relato dramático é do acadêmico de Direito, Samuel de Souza Abreu, 24.
Em um intervalo de 45 dias, ele perdeu seis pessoas da família para a Covid-19. A média é de uma morte a cada semana, durante um mês e meio. A avó materna do estudante, Maria de Souza Abreu, 81, era diabética e foi a primeira pessoa da família a morrer em decorrência da doença, no último dia 11 de fevereiro.
Cerca de 15 dias depois, o irmão de Dona Eluína, como também era conhecida, veio a óbito aos 62 anos. Na sequência, Samuel perdeu um primo, 44; além de três tias, de 77, 55 e 49 anos. A mais jovem tinha obesidade e as outras duas morreram na mesma madrugada do dia 16 de março. As seis vítimas residiam no Bairro Mangabeira, no Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário