COM ÍNDICE DE 8,8% DE LARVAS DO AEDES AEGYPTI, ITABUNA ENTRA EM ESTADO DE ALTO RISCO

Itabuna está em situação de alerta para dengue

Itabuna entrou em estado de alto risco após a conclusão do Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa). De cada 100 imóveis visitados, 8,8% estão com larvas do mosquito de dengue, zika vírus e chikungunya. A pesquisa aponta os bairros Santa Catarina (29,41%) e Santa Clara (23,07%) com os maiores índices de infestação predial.
De acordo com a diretora da Vigilância da Saúde, Maristella Antunes, até sexta–feira passada (16), o município contabilizava 110 casos de dengue, cinco de chikungunya e dois zika vírus. “A situação é de alto risco. Por isso, os moradores do centro e dos bairros precisam evitar água parada em quaisquer recipientes e fechar corretamente os reservatórios”, orientou.
Maristella disse ainda, que nesta terça-feira (20), os Agentes de Combate às Endemias farão uma limpeza no condomínio São José, nas proximidades do Bairro Maria Matos (Rua de Palha). “Os agentes vão recolher o lixo e pulverizar o local”, falou.

CUIDADOS COM A COVID-19

Mesmo com a pandemia da Covid-19, os agentes entraram nas casas para fazer a coleta diante da necessidade de traçar o perfil epidemiológico solicitado pelo Núcleo Regional de Saúde Sul da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab).
“A equipe estava devidamente protegida com jaleco descartável, álcool 70, máscara e toucas”, reforçou o diretor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Émerson Oliveira.
Ele disse que os moradores foram orientados a manter distância de 2 metros dos agentes enquanto estivessem nos domicílios. “Por segurança, o LIRAa não pode ser feito em residências com gestantes, pessoas gripadas, com Covid-19 ou isoladas”, afirmou.
Diante dos índices, Maristella Antunes informou que o combate ao mosquito será intensificado com apoio de outras secretarias. “Vamos envolver as secretarias de Infraestrutura e Urbanismo e Agricultura e Meio Ambiente para que possamos vencer mais essa batalha”, disse.
O diretor da Vigilância Epidemiológica afirma que a luta é constante contra o mosquito, por meio da pulverização de inseticida com bombas costais, recolhimento de pneus e rotineiro trabalho educativo. “Já fizemos mutirões no São Caetano, Sarinha Alcântara, Mangabinha e Jardim Primavera. Vamos alcançar outros bairros”, frisou.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário