Setor de Formaturas pede retomada parcial de solenidades em Itabuna


A adequação de cerimoniais de culto ecumênico e outorga de colação grau na mesma categoria dos cultos religiosos, e com o mesmo grau de exigências no contexto do controle da pandemia da Covid-19, foi tema do encontro de diretores da Terceira Via Formaturas, Danillo Torres, Leandra Batista e Franklin Bastos, com o secretário de Indústria, Comércio, Emprego e Renda de Itabuna, Ricardo Xavier, e o diretor da Secretaria, Othon Dantas, ocorrido nesta quarta-feira, 3 de março. Os empresários pedem a retomada programada e parcial de atividades do setor.
O diretor da Terceira Via, Danillo Torres, explica que é necessário entender que existem diversos "tipos de eventos", que nem todos geram aglomeração e que também podem seguir o rigor dos protocolos determinados no âmbito da pandemia do Coronavírus.
Na oportunidade, eles reivindicaram ao Poder Público e ao Comitê de Combate à Covid-19 o entendimento de que as solenidades de outorga de grau e de cultos de agradecimento, que são partes integrantes das comemorações da conclusão de curso universitário, em nada diferem, por exemplo, dos cultos religiosos e das missas nas igrejas. Além disso, a experiência já mostrou que nesses casos é totalmente possível seguir as recomendações da OMS e os protocolos locais de prevenção e combate à Covid-19.
A expectativa dos empresários é que seja liberada a realização de solenidades de outorga de grau, cultos de agradecimento, cerimônias religiosas de casamento, sem incluir a parte festiva, por exemplo, e na conformidade com os limites e protocolos já estabelecidos para os templos religiosos.
Nessas atividades, são observadas condutas como o distanciamento social, uso de máscara, álcool em gel e a sanitização dos calçados e do ambiente. “Como não há o serviço de bebida e comida, como em bares e restaurantes, por exemplo, não há necessidade de retirada da máscara, a não ser que o participante precise beber água”, argumenta Franklin Bastos.
“É muito seguro estar em uma solenidade de culto de agradecimento ou outorga de grau, pois os protocolos são seguidos e fiscalizados, a distância entre cadeiras são obedecidas, e todos os profissionais envolvidos atuam com EPI's”, enfatiza Leandra Batista.
Franklin lembra ainda que no mês de outubro de 2020, o setor foi autorizado a realizar atividades, além de reuniões de cunho religioso e cultural, obedecendo às regras sanitárias. Salienta que as solenidades realizadas pela Terceira Via seguiram todos os protocolos e serviram de modelo para outras empresas. “O nosso Protocolo de Solenidades hoje é uma referência no setor, em nível nacional”, afirma.
Como forma de apelo às autoridades, os empresários, representando também toda a cadeia produtiva do setor de eventos, destacam que os profissionais envolvidos são a favor da vida. “Somos a favor da atenção total à saúde e à prevenção! Mas precisamos que a sociedade e o Poder Público entendam que o nosso setor pode retomar parcialmente as atividades a partir desses modelos pré-estabelecidos. E estamos há 360 dias na UTI. Para muitos profissionais já faltou oxigênio. Muitas famílias estão passando fome, morrendo também pela falta do pão de cada dia”, lamentam os empresários do setor.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário