Para não ter que doar doses ao SUS, clínicas privadas querem mudança na lei de vacina

As clínicas privadas de vacinação querem entrar na Justiça para que as clínicas particulares não precisem doar vacinas ao Sistema Único de Saúde (SUS). A informação foi divulgada pelo o presidente da Associação Brasileira das Clínicas de Vacina (ABCVAC), Geraldo Barbosa.
De acordo com o projeto sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), as empresas privadas podem comprar imunizantes contra a Covid-19, mas deverão doá-los ao SUS enquanto estiver em curso a vacinação de grupos prioritários, como idosos e profissionais de saúde.
Segundo Barbosa, a determinação contida na lei pode retardar a chegada de 5 milhões de doses da vacina indiana Covaxin, da Bharat Biotech, nas clínicas particulares. As doses estavam previstas para abril. Segundo a organização, ao menos 600 clínicas já negociam a vacina em todo o país.
As doses negociadas pelas clínicas devem custar US$ 44 (R$ 244). O valor não inclui, segundo a organização, não inclui custos de mão de obra, transporte, carga tributária e equipamentos de proteção individual.

Bahia Extra

Bahia Extra Comunicação a serviço do leitor!

0 Comentarios:

Postar um comentário