SESAU TRANSFERE R$ 350 MIL PARA SANTA CASA; MAGELA EXPLICA QUE NÃO DESCUMPRIU ACORDO

Secretário argumenta que transferência de recursos dependia de documentação só entregue hoje pela Santa Casa

O secretário municipal de Saúde, Geraldo Magela, disse ao PIMENTA que o município transferiu ontem (2) R$ 350 mil para a Santa Casa de Misericórdia de Ilhéus, mantenedora do Hospital São José e da Maternidade Santa Helena.
Como informamos na última semana, profissionais das duas unidades cobram o pagamento dos salários referentes ao mês de dezembro de 2020. A entidade alegou que dependia do repasse dos recursos da Prefeitura para quitar os vencimentos dos trabalhadores.
Na sexta-feira (29), com a mediação do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), município e Santa Casa firmaram acordo para que o dinheiro fosse enviado ontem (2) pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau).
Segundo Magela, a Sesau não enviou os recursos na segunda-feira porque a Santa Casa não havia entregado os documentos necessários, o que ocorreu hoje. Por isso, enfatiza o gestor, nenhum acordo foi descumprido. “Não é verdade que a gente não tinha cumprido [o acordo mediado pelo Ministério Público]. Não vou dizer que foi de má-fé que falaram, mas não é verdade. A gente iria pagar na segunda-feira. Nós cobramos [os documentos] na segunda-feira, só entregaram hoje a documentação toda”.
O secretário lamentou a notícia de que não teria honrado o compromisso. “É chato. Pode publicar o que quiser. Pode bater, falar que sou incompetente. Agora, escuta, pelo menos, porque, realmente, a Santa Casa fez sacanagem, foi chantagem. Como é que a gente descumpriu o acordo, se ela não entrega o documento? É pouco republicano. Dá vontade de cancelar o incentivo. Quer dizer, nós doamos. Levamos para o conselho, achamos importante ajudar. É uma ajuda – essa é a palavra: ajuda. 350 mil a mais, e ainda inventa uma coisa dessa? Hoje eu falei com o provedor: ‘Isso aí é coisa de mandar para’, mandei mensagem para o promotor: ‘Era caso até de cancelar’. É maldade, mas faz parte do jogo. Eu tenho que ter calma, tranquilidade”.
Magela também ressaltou que o valor transferido hoje não é o pagamento de serviços prestados ao SUS. Trata-se de socorro financeiro à entidade filantrópica. “Ao todo, vai ser um incentivo de R$ 1.470.000”, informa.
Na última quarta-feira (27), o provedor da Santa Casa, Eusinio Lavigne, disse que o município ainda não havia quitado os valores correspondentes a serviços realizados em novembro de 2020. Segundo ele, a Sesau deveria ter pago por eles em dezembro. Magela, por sua vez, alega que o prazo é outro. “Novembro você paga em janeiro, dezembro você paga agora em fevereiro. Isso é normal, é protocolar, você tem que auditar as contas. Não pode pagar antes”.
Ouvido pelo PIMENTA na noite de terça (2), o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Marcos Lessa, endossou a informação do secretário, acrescentando que esse é um procedimento comum na administração de recursos enviados aos municípios pelo Ministério da Saúde.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário