Luxemburgo e elenco adotam silêncio após 4º rebaixamento na história do Vasco

O Vasco rebaixado em silêncio. Antes e depois da partida diante do Goiás, na noite desta quinta-feira, em São Januário, no Rio, ninguém do clube concedeu entrevistas. Nem a vitória por 3 a 2, na partida válida pela 38.ª e última rodada do Campeonato Brasileiro, mudou a decisão do técnico Vanderlei Luxemburgo, que se despede do time, e dos jogadores, bastante abatidos com o quarto rebaixamento da história – o Vasco já havia caído em 2008, 2013 e 2015.
Uma entrevista coletiva foi agendada pela diretoria do Vasco para esta sexta-feira, às 15 horas. Nela, o presidente Jorge Salgado deve informar as principais medidas para o clube, tanto na procura por um novo treinador quanto para o retorno à elite nacional.
O que se sabe é que não seguirá com Luxemburgo, que antes mesmo da partida contra o Goiás já havia se despedido do clube, apesar de sua vontade de continuar. Como não livrou os cariocas do rebaixamento, ele abriu mão de seus salários.
O Vasco terminou na 17.ª colocação com 41 pontos, mesmo número do Fortaleza, primeiro fora da zona de rebaixamento, mas os cearenses ficaram com nove gols a mais no saldo.
O time carioca chegou até mesmo a liderar a competição, na quarta rodada e quando tinha um jogo a menos. Mas a diretoria demitiu o técnico Ramon Menezes, apostando na chegada do português Ricardo Sá Pinto. Até que, já no desespero, o elenco ficou nas mãos de Luxemburgo que não conseguiu cumprir a missão de evitar a queda à Série B.
Para a estreia do Campeonato Carioca, o Vasco convocou o elenco sub-20, atual campeão da Copa do Brasil e da Supercopa da categoria. O c”ruzmaltino faz seu primeiro jogo diante da Portuguesa, na próxima quarta-feira, às 21h, em São Januário.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário