Podemos, 3ª maior bancada do Senado, anuncia apoio a Tebet contra candidato de Alcolumbre

Simone Tebet e Davi Alcolumbre

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) recebeu na quarta-feira (13) o apoio da terceira maior bancada do Senado, a do Podemos, na disputa pela presidência da Casa.
O Podemos conta atualmente com nove senadores. Fontes informaram que houve vozes divergentes, o que pode indicar votação contrária à orientação partidária na eleição, em fevereiro.
A reportagem apurou que o senador Romário (Podemos-RJ) foi um dos que indicou que preferia apoiar Rodrigo Pacheco (DEM-MG), candidato do atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).
“O Podemos manifesta seu apoio à senadora Simone Tebet para a presidência do Senado Federal após discussão e reflexão sobre os seus compromissos e ideias. Como sempre, a bancada respeitará eventuais opiniões divergentes dos seus senadores”, afirma nota assinada pelo líder do partido, Álvaro Dias (PR).
“O partido confia na mudança e na afirmação do protagonismo ético do Senado, reafirmando seu compromisso com a independência dos poderes e a governabilidade”, completa o texto.
Dias era um dos pré-candidatos à presidência da Casa no âmbito do Muda Senado, movimento suprapartidário integrado por 18 senadores.
A bancada do Podemos inclusive manteve aberta a possibilidade de lançar candidatura própria, caso verifiquem que Tebet falhou em angariar apoio para se tornar um nome competitivo.
Também nesta quarta, um dia depois de Tebet anunciar sua candidatura, a bancada do Cidadania —com 3 senadores— também fechou questão para apoiar a senadora do MDB. O anúncio da sigla, no entanto, só deve sair no sábado (16), por questões de agenda dos parlamentares.
Por outro lado, o PSDB, que indicava apoiar a atual presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), rachou durante reunião e deve liberar o voto de sua bancada. Tebet terá uma reunião com os tucanos nesta quinta-feira (14) para tentar reverter a situação.
Com as adesões, as primeiras desde a confirmação da candidatura, Tebet, portanto, aumentou seu apoio para três partidos, que reúnem 27 parlamentares.
Havia a expectativa de que o PSDB se juntasse a Podemos e Cidadania para anunciar um apoio em bloco. No entanto, em reunião na tarde desta quarta-feira, o partido deu indícios de estar rachado.
Mais cedo nesta quarta, a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) havia publicado em suas redes sociais mensagem de apoio a Tebet, independente da bancada.
“Colegas senadores, vamos eleger Simone Tebet à presidência do Senado. Independência dos poderes e harmonia, sem polarização. Simone representa renovação, seriedade, diálogo, além de valorizar a força da mulher na política”, escreveu a senadora.
A reportagem apurou que pelo menos outros dois senadores tucanos devem apoiar a emedebista.
No outro lado da disputa, o senador Pacheco também reforçou seu bloco de apoio, com a adesão do PP e seus sete senadores.
Com isso, o bloco de Pacheco agora conta com oito siglas —DEM, PL, PP, PROS, PSC, PSD, PT e Republicanos— que reúnem um total de 39 senadores.
Como a votação é secreta, é possível que haja traições nos dois lados. São necessários 41 votos para ser eleito presidente do Senado, maioria absoluta na Casa.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário